Accessibility informationSkip to the main content

Descubra os nossos vinhos mais exclusivos

Se vir este ícone na sua lista de vinhos na Primeira Classe, significa um mimo para si. Encontrou um dos vinhos mais raros e excecionais da nossa coleção de Bordeaux. Os vinhos da The Emirates Vintage Collection são amadurecidos até 15 anos nas nossas adegas, antes de estarem prontos para que desfrute deles a bordo. Estamos a lançar vinhos vintage muito especiais ao longo do ano em rotas selecionadas – procure da próxima vez que viajar para as Américas, Australásia, Extremo Oriente ou Europa.

Château La Mission Haut-Brion 2004

O ano de 2004 é o segundo vintage de La Mission Haut-Brion que disponibilizamos a bordo, tendo servido o ano de 1996 no ano passado. Situado nos subúrbios de Bordeaux do lado oposto da propriedade vizinha, Château Haut-Brion, La Mission foi adquirida em 1983 por Domaine Clarence Dillon. Uma ligação real (o presidente da empresa é o Príncipe Robert do Luxemburgo) e sete pontuações perfeitas de 100 do famoso enólogo Robert Parker criaram a nobreza deste vinho.

O ano de 2004 apresenta aromas complexos de groselha-negra, cereja preta, tabaco e aparas de lápis. O palato é elegante e encorpado de forma média, com notas de vegetação rasteira, um toque de pimenta no final revigorante.

Château Montrose 2005

O do ano de 2005 é o quarto vintage Montrose que servimos a bordo ao longo de 10 anos. Um grande concorrente para ser promovido a Primeiro Crescimento, este produtor líder de denominação Saint-Estéphe é propriedade de Martin e Olivier Bouygues desde 2006. Esta região vinícola está situada num outeiro de cascalho exposto ao sol a 800 metros do estuário de Gironde, garantindo a sua proteção contra o gelo.

O ano 2005 concentrou os frutos vermelhos com toques de cedro, grafite e tons florais. Encorpado de forma média e firme, com toques de folhas secas e um toque de ervas na própria fruta. O sabor final é longo e complexo.

Château Léoville Las Cases 1998

Este é o terceiro vintage de Grand Vin desta vitivinicultura que servimos a bordo. Se viajou connosco na Primeira Classe em 2017, poderá lembrar-se de beber o ano de 1989 nas rotas para América do Norte e do Sul e para o Reino Unido.

Este chatêau é aquele que apresenta um perfil mais elevado das três propriedades que faziam parte, originalmente, da enorme propriedade Leoville do séc. XVII. Sob a direção de Michel Delon, os vinhos da propriedade alcançaram o nível de qualidade de Primeiro Crescimento, e é um dos grupos líder nos chateaux de Segundo Crescimento, conhecido como "super-segundos".

Este ano de 1998 apresenta toques de amora, cereja seca, ameixa e madeira fumada. É encorpado de forma média e tem uma boa estrutura com notas de tabaco e folhas secas, que adicionam complexidade ao vinho.

Château Cos d’Estournel 2005

Ao longo dos últimos cinco anos servimos não apenas o Grande Vinho desta propriedade, mas também o vinho branco e o segundo vinho mais popular, Les Pagodes de Cos. Considerado durante vários anos como um dos dez melhores vinhos vintage, o Cos alcançou o estatuto de Segundo Crescimento na respeitável classificação de 1855 de Médoc. Esta região produz algumas das melhores uvas Cabernet de Bordeaux – cerca de 60% desta casta – e o solo argiloso significa que a propriedade também tem bastantes castas de Merlot, dando ao vinho um carácter voluptuoso.

O ano de 2005 tem aromas de creme de cássis (groselha-negra), cereja preta, violeta e especiarias exóticas. O palato é bastante encorpado e tem diversas camadas com sabores de frutos negros concentrados, taninos densos e ricos e um final extremamente longo.

Château Margaux 2004

A nossa relação com Château Margaux data de 2008, quando servimos o vintage de 1982 no nosso voo inaugural A380 para Nova Iorque. O “Versailles de Médoc” produz alguns dos melhores vinhos atuais. Após adquirir a empresa em 1977, Andre Mentzelopoulos investiu fortemente para melhorar a terra em poucos anos. Quando faleceu em 1980, a sua filha Corinne assumiu a liderança e continua a fazer melhorias em cada novo vintage.

O ano de 2004 apresenta sabores de framboesa pura, groselha e notas de charuto com um toque de grafite. Encorpado de forma média e equilibrado, os taninos suaves são revestidos pelos frutos vermelhos, com um toque de casca de laranja no final persistente.

Château Mouton Rothschild 2004

Décadas de pressão pelo Barão Philippe de Rothschild resultaram neste vinho excecional a ser finalmente elevado ao estatuto de Primeiro Crescimento, após ter sido excluído da classificação de 1855. E de forma justificada – pois trata-se de um dos melhores vinhos do mundo. Todos os anos o rótulo apresenta um artista diferente – este ano é realizado pelo Príncipe Carlos, em comemoração dos 100 anos do acordo Entente Cordiale. Também servimos o vintage de 2001 no ano passado, que apresentava retratos da então proprietária Baronesa Philippine de Rothschild.

O ano de 2004 foi poderoso em termos de groselha-negra, bolo de frutas, cedro e um toque torrado. O palato é encorpado de forma média, com tanino firme e toques de solo florestal, complementados com os sabores dos frutos condimentados.

Explore as regiões vinícolas de todo o mundo

Viaje connosco até aos melhores destinos de produção de vinho e descubra um novo vinho favorito entre os vinhos do Velho Mundo e do Mundo Novo.

Os produtos e serviços apresentados neste website podem variar consoante a rota e configuração do avião. O tipo de avião poderá ser alterado à última hora devido a exigências operacionais.