Accessibility informationSkip to the main content
  • MEDIF - Parte 1

    A preencher pelo passageiro ou por alguém em nome do passageiro.

  • MEDIF - Parte 2

    Após o envio da Parte 1, enviaremos a Parte 2 ao médico do passageiro, com vista ao respetivo preenchimento.

    A Parte 2 será então reencaminhada ao passageiro.

  • Envio Final

    O envio final (Parte 1 e Parte 2) tem de ser analisado e confirmado pelo passageiro, antes de nos enviar o mesmo.

    Envie os formulários preenchidos pelo menos 48 horas antes do voo, para podermos verificar e processar o pedido.

Iniciar o meu formulário MEDIF

Introduza os dados da sua reserva para iniciar o envio do seu formulário MEDIF online.

Informação importante

O MEDIF deve ser preenchido com base na condição do passageiro, no prazo de um mês relativamente à data de viagem planeada, e enviado pelo menos 48 horas antes do voo.


Os Serviços Médicos da Emirates podem solicitar informações ou esclarecimentos adicionais antes de aprovarem o seu MEDIF. Também deve informar-nos imediatamente sobre qualquer alteração na condição do passageiro ANTES da partida.


Se vai enviar o formulário MEDIF em nome de um bebé, faça download do PDF MEDIF e envie uma cópia preenchida para medaattachments@emirates.com.

Orientações gerais

Os passageiros que viajem com uma das seguintes condições devem preencher um formulário MEDIF ao fazer a reserva:

  • Passageiros cuja condição clínica requeira abastecimento de oxigénio, maca, acompanhamento médico ou tratamento durante o voo.
  • Passageiros que podem precisar de utilizar equipamento ou instrumentos médicos no voo.
  • Passageiros cuja aptidão para viagens de avião está em dúvida, seja por causa de instabilidade recente, doença, tratamento ou doença.
  • Passageiros que normalmente não são aceites para viajar, sofram de doenças ou ferimentos graves ou instáveis.

Existem dois fatores que consideramos ao avaliar a aptidão do paciente para a viagem aérea:

  • Pressão atmosférica reduzida: a pressão de ar na cabina muda drasticamente durante 15 a 30 minutos após a descolagem e antes da aterragem, e a expansão e contração de gás podem causar dores e efeitos de pressão.
  • Redução na tensão de oxigénio: a cabina está a uma pressão equivalente a uma altitude de 6.000 a 8.000 pés e a pressão parcial do oxigénio é, de aproximadamente, menos 20% do que em terra.

Qualquer condição clínica que dificulte a capacidade de um passageiro concluir um voo de forma segura, sem requerer assistência médica especial durante o voo, é considerada como inaceitável para a viagem aérea.


Condições normalmente consideradas inaceitáveis para viagem aérea

Avaliamos cada caso individual e as suas próprias características, e consideramos se o passageiro está acompanhado por assistência médica. No entanto, como orientação geral, as seguintes condições são normalmente consideradas como inaceitáveis para viagem aérea:

  • Casos graves de anemia.
  • Casos graves de infeções do ouvido médio (otite média) ou sinusite.
  • Doenças agudas e contagiosas.
  • Passageiros que sofram de insuficiência cardíaca congestiva ou de outras condições cianóticas que não estejam completamente controladas.
  • Enfartes do miocárdio simples (EM) dentro de duas semanas após início, ou EMs complicados dentro de seis semanas após o início.
  • Passageiros que sofram de doenças respiratórias graves ou pneumotórax recente.
  • Passageiros com lesões gastrointestinais que possam causar hematémese, melaena ou obstrução intestinal.
  • Casos de pós-operatório:
    • Dentro de 10 dias após cirurgias abdominais simples
    • Dentro de 21 dias após cirurgia invasiva ao peito ou olhos (não inclui cirurgia a laser).
  • Fraturas de maxilar com arames fixos no maxilar (salvo com assistência médica).
  • Doenças mentais instáveis sem acompanhamento e medicamentos adequados durante a viagem.
  • Convulsões não controladas (salvo com assistência médica).
  • Gravidez simples para além do final da 36ª semana ou gravidez de gémeos para além da 32ª semana.
  • Bebés até aos sete dias de vida.
  • Passageiros que tenham introduzido ar em cavidades corporais para efeitos de diagnóstico ou terapia nos sete dias anteriores.

Notas sobre outras condições

  • Alergias alimentares: os passageiros não necessitam de preencher este formulário para solicitar uma refeição especial para o voo. Tenha em consideração que não podemos garantir refeições sem amendoins. No entanto, caso o passageiro sofra de uma alergia alimentar muito grave que possa requerer tratamento a bordo - especialmente se reagirem na presença de resíduos de alimentos no ar - este formulário deverá ser preenchido.
  • Asma: os medicamentos para a asma devem ser transportados na bagagem de cabina. Sendo que os nebulizadores requerem a sua própria fonte de alimentação, os dispositivos espaçadores usados com o inalador são uma alternativa eficaz a bordo.
  • Acompanhamento: o acompanhamento médico deve garantir que dispõe de todos os itens necessários para o cuidado adequado ao paciente e é responsável por prestar assistência ao paciente sempre que necessário. Devido aos regulamentos de manuseamento de alimentos, a tripulação não pode prestar assistência.
  • Fraturas: todas as novas fraturas de ossos e gessos de perna inteira requerem um atestado médico. Os gessos devem ter, no mínimo, 48 horas. Os gessos devem ser divididos em casos de ferimentos recentes (48 horas ou menos), que possam inchar dentro do gesso num voo longo. Infelizmente, não é possível o espaço adicional para elevação da perna em Classe Económica; no entanto, poderá reservar um lugar no corredor. Por favor mencione se o ferimento do passageiro é do lado direito ou esquerdo.
  • Cuidados a bordo: tenha em consideração que não prestamos cuidados de saúde; a nossa tripulação é formada apenas em primeiros socorros.
  • Doenças pulmonares ou cardíacas: uma doença cardiopulmonar que cause dispneia ao caminhar mais de 100 metros numa superfície plana, ou requeira oxigénio num hospital ou em casa (ou previamente a bordo) pode requerer oxigénio suplementar. O oxigénio do avião destina-se a ser utilizado apenas em emergências. Os casos cardiopulmonares graves, assim como os que requeiram oxigénio constante, uma maca ou incubadora devem incluir um relatório médico detalhado anexo ao atestado médico. (Uma cópia de um especialista ou referência do hospital será suficiente.)
  • Deficiências físicas: caso o passageiro apenas necessite de uma cadeira de rodas até à porta do avião, não há necessidade de preencher o formulário. Nota: As regras da Aviação Civil requerem que todos os passageiros sejam capazes de usar o lugar no avião com as costas na posição vertical.
  • Refeições especiais: Dietas especiais por motivos religiosos ou médicos podem ser solicitadas ao gerir a sua reserva online, ou diretamente através de uma agência de viagens, se tiver reservado através de uma.
  • Doenças terminais: os passageiros em estados de doença avançados ou terminais requerem acompanhamento por parte de um médico ou enfermeiro.