Accessibility informationSkip to the main content

A Emirates e o Canadá

A história da Emirates e o Canadá começou a 29 de Outubro de 2007, com o lançamento de três voos diretos semanais do Dubai para Toronto e vice versa. Este é o número máximo de voos semanais que podemos operar de acordo com o Acordo de Transporte Aéreo atual entre o Canadá e os EAU. Todos os anos, estes voos operam na sua capacidade máxima, com médias consistentes de 90% de taxas de ocupação. É um indicativo de que existe muita procura e que um serviço diário entre Toronto e o Dubai iria beneficiar os passageiros, o comércio e o turismo.

A longo prazo, gostaríamos de alargar os nossos serviços a mais cidades canadianas, como Calgary e Vancouver, da mesma forma que crescemos em outros mercados como a Austrália, Alemanha, Estados Unidos e Reino Unido.

Leia mais sobre as operações da Emirates na nossa ficha de factos Emirates e o Canadá(Abre um PDF num novo separador)

Contexto no Canadá e Dubai

Dubai - um mercado de exportação forte e em crescimento

Em 2017, os EAU eram o maior mercado de exportação de mercadorias para o Canadá na região do Médio Oriente e Norte de África.

  • As exportações canadianas para os EAU atingiram os 1,6 mil milhões CAD em 2017, um aumento de 41% em relação a 2007, com um excedente comercial de 1,4 mil milhões CAD com os EAU foi o quarto maior do Canadá em termos globais.
  • No Dubai existem cerca de 150 empresas canadianas e 1.114 empresas registadas por cidadãos canadianos.
  • O tráfego de passageiros e carga entre o Canadá e os EAU - e o Dubai em particular - está a crescer rapidamente.
  • Em 2009, o Canadá e os EAU assinaram um Memorando de Entendimento de Comércio e investimento, o reconhecimento do tremendo potencial do crescimento no comércio entre o Canadá e os EAU. Os dois países concluíram recentemente um acordo de cooperação nuclear (NCA), o qual inclui o fornecimento de urânio canadiano e tecnologia aos EAU.
  • Com o objetivo de reforçar a relação comercial e promover ainda mais o comércio e a parceria estratégica entre os dois países, os EAU e o Canadá lançaram um conselho comercial conjunto em Montreal, Canadá, em Outubro de 2013.
  • Até a Air Canada, membro Star Alliance, reconheceu que o mercado Dubai-Canadá está mal servido e começou a disponibilizar voos de Toronto para o Dubai em Novembro de 2015.

Acreditamos que o maior acesso da Emirates ao Canadá poderá ter um impacto positivo na relação comercial do Canadá com os EAU, facilitando o transporte de bens e pessoais entre os dois países. Sendo que o governo canadiano promove acordos "open skies", muitos dos seus próprios acordos têm sido com países com mercados de exportação menos valiosos para o Canadá.

Em países nos quais foram realizados acordos "open skies", a relação do Canadá com tais países é marcadamente diferente comparativamente aos EAU e o Dubai:

PaísExportações canadianas em 2017 (milhões de dólares canadianos)Classificação de exportaçãoComércio total em 2017 (milhões de dólares canadianos)Classificação de comércio total
Coreia do Sul5.203613.9077
Suíça1.998156.39815
Brasil1.711186.42314
Emirados Árabes Unidos1.603211.79237
Irlanda588392.90127
Nova Zelândia494411.20249
Trinidade e Tobago3055348167
República Dominicana166641.39144
Costa Rica1596567559
Jamaica1237329175
Islândia798217783
El Salvador599016590
Honduras4310242768
Nicarágua4110416889
Barbados3710750115
Guiana2911369058
Belize1613318149
Curaçao1513516152
Antígua e Barbuda1015310166
Santa Lúcia91569167
Saint Maarten61646178

Fonte Estatísticas do Canadá e Departamento de Censos dos EUA

Tal como indicado pela tabela, os EAU são um mercado de exportações significativamente maior para o Canadá do que a maioria dos outros países indicados, nos quais existem acordos de “open skies”, com exceção da Coreia do Sul, Suíça e Brasil. Isto destaca ainda mais o potencial de promover significativamente o comércio, caso os voos da Emirates para o Canadá aumentassem.

Um novo mercado de turismo para o Canadá

A indústria do turismo no Canadá está a sofrer, com o tráfego de entradas de mercados tradicionais a indicar reduções substanciais. De acordo com a Destination Canada, o país recebeu uma média de 19,97 milhões de visitantes internacionais em 2016, ainda longe do recorde de 20,06 milhões de chegadas em 2002. Os governos provinciais e os operadores turísticos procuram desesperadamente abrir-se a novos mercados, incluindo os EAU.

Os turistas dos EAU são dos mais procurados em todo o mundo, gastando uma média de 10.000 dólares canadianos por pessoa, por semana, quando em férias. A estadia média de férias para um Emirati nos EUA é de um mês, apesar de alguns ficarem até oito semanas.

Este mesmo potencial existe para o Canadá e a Emirates tem a capacidade de fazer a ligação ao país com estes turistas. Contudo, a oportunidade está a perder-se devido às restrições de voos existentes. Como indicado na tabela em baixo, outros países abriram as suas portas a mais serviços da Emirates e aos benefícios económicos e turísticos subjacentes.

PaísVoos semanais da Emirates (Verão de 2018)Restrições de voos*
Reino Unido126Sem restrições
Estados Unidos98Sem restrições
Austrália91105
Alemanha70Sem restrições
África do Sul5656
Nova Zelândia14Sem restrições
Canadá33

*O número máximo de voos semanais da Emirates permitidos, de acordo com os acordos de serviços aéreos existentes entre os EAU e o país em questão.

Oportunidade do Canadá

Os fortes benefícios comerciais, turísticos e económicos para o Canadá só podem ser alcançados aumentando os direitos de frequência de voos de acordo com o Acordo de Transporte Aéreo existente entre o Canadá e os EAU. O Dubai tornou-se num interveniente económico global, proporcionando uma vasta gama de oportunidades para os negócios canadianos. Fortalecer a relação entre a Emirates e o Canadá com mais voos de e para o Dubai iria promover ainda mais o comércio, investimento, turismo e emprego, criando benefícios económicos e sociais substanciais para o Canadá e para os seus cidadãos.

A Air Canadá seria afetada?

Existem algumas preocupações sobre o aumento da concorrência com a Air Canada, caso fosse lançado um voo diário da Emirates entre o Dubai e Toronto, preocupações essas que, na nossa visão, são extremamente exageradas. Atualmente, no Aeroporto Toronto Pearson, a nossa cota de partidas internacionais semanais é de 0,1%, enquanto que a nossa capacidade de lugares internacionais é de 0,4%, opondo-se à Air Canada, que tem uma cota de 54% de partidas internacionais semanais e 51% de capacidade de lugares internacionais. Com um voo diário, a cota da Emirates iria aumentar de forma marginal para apenas 0,3% e 1%, respetivamente. Estes pequenos aumentos não atingiriam um nível que sugerisse que os voos adicionais da Emirates constituíssem uma ameaça para a Air Canada.

  • Em Novembro de 2015, a Air Canada começou um serviço direto de Toronto para o Dubai, com operações de três vezes por semana; para além dos quatro serviços diretos semanais de Toronto para Deli (diário a partir de 30 de Outubro de 2016). Não existe uma sobreposição competitiva direta entre a Emirates e a Air Canada no Médio Oriente, África ou subcontinente asiático, visto que a Air Canada não opera voos para qualquer destino destas regiões, para além do Dubai, Deli e Bombaim.
  • Em relação às afirmações que somos dependentes do tráfego de países terceiros, o nosso tráfego de ligações apenas complementa o tráfego substancial e de rápido crescimento entre o Canadá e os EAU no nosso voos Dubai-Toronto. Ao transportar este tráfego de ligações, também proporcionamos um maior acesso entre o Canadá e diversas regiões do mundo, as quais são fracamente servidas ou não servidas a partir do Canadá. Fazer a ligação de passageiro representa uma parte fundamental do tráfego geral combinado para todas as companhias aéreas em rede - incluindo a Air Canada e os seus parceiros Star Alliance.
  • Sugerir que os interesses comerciais dos parceiros Star Alliance da Air Canada (com as suas 28 companhias aéreas parceiras, passageiros anuais na ordem dos 725,51 milhões, uma frota de mais de 4.700 aviões e 62% de cota de partidas internacionais semanais e 59% de capacidade de lugares internacionais no Aeroporto Toronto Pearson) teriam um forte impacto por um serviço diário da Emirates entre o Dubai e Toronto apresenta muito pouca credibilidade.
  • Em 2017, o lucro da Air Canada mais do que duplicou para 2,04 mil milhões de CAD, comparativamente aos 876 milhões de CAD em 2016. A empresa adicionou 30 rotas globalmente em 2017, e transportou um número recorde de 48 milhões de passageiros.
  • Tentamos sempre criar nova procura ao invés de redistribuir o tráfego existente. Não faz parte da nossa política envolvermo-nos em "dumping de capacidade" ou "preços predatórios" - os nossos preços são competitivos em todos os mercados.