Accessibility informationSkip to the main content

Proteção da biodiversidade

A beleza e biodiversidade do nosso planeta é uma inspiração para viajar e a Emirates está empenhada em fazer a sua parte para preservar os habitats naturais e impedir o comércio de vida selvagem ilegal, que promove a extinção de espécies ameaçadas.

Conservação dos habitats

A Emirates apoia ativamente os habitats mais frágeis desde 1999, data em que criou o Al Maha Desert Resort and Spa no Dubai, com uma reserva de conservação com 27 quilómetros quadrados, para proteger a fauna e a flora do deserto. Nos primeiros anos foram reintroduzidos órix-da-arábia no seu habitat 70 e foram plantadas cerca de 6.000 árvores e arbustos endémicos.

Isto foi a fundação da Reserva de Conservação do Deserto do Dubai (DDCR) (Abre numa nova janela), que foi criada em 2003 e alargou a área protegida para 225 quilómetros quadrados. Representando cerca de 5% da área total do Dubai, este é o maior território no qual o Dubai realizou um único projeto. A Emirates financia a DDCR e tem representação no seu conselho administrativo.

Após o sucesso de Al Maha e da DDCR, em 2009, a Emirates inaugurou o Emirates One&Only Wolgan Valley. Um dos primeiros resorts de luxo de conservação na Austrália ocupa cerca de 1% da reserva natural, com 2.800 hectares da área protegida de Greater Blue Mountains.

Concebido através dos princípios dos edifícios verdes, o resort foi construído de forma a reduzir o consumo de energia e água, com equipamentos como bombas térmicas, painéis solares e sistemas de ventilação passiva. Na inauguração, o Emirates One&Only Wolgan Valley foi o primeiro hotel certificado carboNZero©™ do mundo e o primeiro resort neutro em termos de emissões de carbono a obter certificação através de um programa relativo aos gases com efeito de estufa acreditado internacionalmente.

A Emirates investiu mais de 125 milhões de dólares australianos neste projeto para garantir a conservação da biodiversidade única neste vale e, desde então, plantou mais de 175.000 árvores e arbustos endémicos no local.

Combate do tráfico de vida selvagem ilegal

Sendo uma grande empresa de aviação internacional, a Emirates está empenhada em fazer uma diferença positiva no combate ao comércio de vida selvagem ilegal, orientando os nossos recursos para apoiar esta causa. Temos tolerância zero em relação ao transporte de espécies proibidas, troféus de caça e produtos associados a atividades ilegais de vida selvagem.

Os nossos funcionários de handling em terra têm formação sobre os Regulamentos da Vida Animal da IATA e sobre as nossas políticas internas sobre transporte de vida selvagem. Os nossos funcionários na linha da frente têm formação para reconhecer e denunciar cargas suspeitas. Estabelecemos um canal de denúncias específico para capacitar a nossa equipa e parceiros a evitar o comércio ilegal, denunciando informações confidenciais que podem proteger espécies em vias de extinção.

Para além das campanhas internas para consciencialização dos nossos funcionários, a Emirates também cria ações com os passageiros, apresentando regularmente entrevistas, programas e filmes sobre vida selvagem no ice, o nosso sistema de entretenimento a bordo, e artigos na nossa revista a bordo, a Open Skies.

Desde 2015, cinco aviões A380 da Emirates apresentam animais ameaçados pela caça furtiva, viajando pelos seis continentes para ajudar a criar consciencialização sobre o assunto nos aeroportos de todo o mundo, e entre os milhões de passageiros que transportamos anualmente na nossa rede. 

Temos em curso diversos projetos para proteger a vida selvagem ameaçada e sabemos que não é algo que apenas uma entidade ou um setor possa alcançar sozinho. Tentar impedir o comércio de vida selvagem ilegal requer apoio e esforços coordenados de diversas partes, incluindo os organismos reguladores, órgãos de execução da lei, alfândegas e controlos fronteiriços, comunidades locais e agentes de transportes e logística.